Retour à l'accueil

         
Le Brésil - Réalités


Cette page nous permet d'insérer des aspects culturels de la réalité brésilienne, des études, des manifestes, des points de vue, des tribunes libres qui nous semblent intéressants pour tous ceux qui veulent connaître le Brésil...


Puits de Carbone Olga Benario Des Fabriques à Culture Jóias Crioulas A História das Favelas História da Cachaça Amas de Leite A Saga do Café As festas 2005 do Senhor do Bonfim em Salvador A Moda brasileira A História da Baunilha L'Histoire du Cacao A Mandioca Soja, Um grande negócio! Bumba - Meu - Boi Círio de Nazaré Cenas da vida nordestina em São Paulo Pau-Brasil Linha de comésticos Ekos Pau-Rosa Les Biocarburants Amazónia Les Portes de São Luís do Maranhão Histórico da Erva-Mate Ipê Literatura de Cordel Os Orixás Os Partidos Políticos Capim Dourado

 

- Un Puits de carbone se définit comme un réservoir de carbone qui, pendant un temps donné, absorbe globalement plus de carbone qu'il n'en rejette - Le Groupe PSA Peugeot Citroen convaincu que la maîtrise de l'effet de serre est un enjeu écologique majeur, a décidé de s'engager résolument dans la réduction des émissions de gaz carbonique.
En réalisant ce projet, Peugeot veut apporter une contribution à la connaissance scientifique des écosystèmes forestiers et démontrer la faisabilité et la pertinence des Puits de carbone en complément de l'indispensable réduction des émissions de gaz à effet de serre à la source.
- Bilan à cinq ans et perspectives
- Projeto da Peugeot em Mato Grosso comemora 10 anos - Há dez anos, o Organismo Nacional de Florestas da França, ONF, comprou, com a ajuda financeira da construtora Peugeot, 10 mil hectares de terra desmatada no estado do Mato Grosso. Esse projeto, inédito, tinha como objetivo reflorestar o que na época era um pasto. Uma década depois, foram plantadas mais de dois milhões de árvores na fazenda São Nicolau, em uma superfície de 2 mil hectares. - Pamela Valente, RFI - 20/11/08
- Un « puits de carbone » en Amazonie, par Hervé Théry, Directeur de recherche au CNRS/Credal, professeur invité à l’Université de São Paulo

 

- Olga Benário - Prestes fala de Olga : "Olga saiu do Brasil em setembro de 36. Na véspera de ela partir, recebi na cadeia uma ordem escrita para assinar uma autorização liberando alguns dólares que a polícia apreendera em nossa casa. Na casa de detenção, as companheiras fizeram tudo para evitar que Olga saísse... - Rebeldes Brasileiros, fascículo n°11
Carta de Olga Benário a sua filha Anita e seu marido Luís Carlos Prestes
Biografia e história de Olga Benário - in Cultura Brasil
Olga Benário - Breve biografia em "A Era Vargas"
Olga Benário - Breve biografia publicada pela revista IstoÉ Gente.
Olga Benário Prestes: coragem feminina, por Mariana Várzea
O livro de Fernando Morais - Judia e comunista militante, a alemã Olga Benario Prestes apaixonou-se pelo líder comunista brasileiro Luís Carlos Prestes quando foi escolhida pelo Comintern para acompanhá-lo em uma viagem. Os dois chegam já casados ao Rio de Janeiro, em 1935, dispostos a liderar um levante comunista. Mas acabam presos e ela, grávida, é mandada pelo governo Getúlio Vargas de volta para a Alemanha. Em 1942 ela morre em uma câmara de gás de um campo de concentração. Traduzido em diversos países, "Olga" é o relato da trágica vida de uma mulher que assumiu suas convicções políticas, viveu aventuras e tentou mudar o mundo numa época em que as ideologias estavam em primeiro plano. Uma biografia escrita com força e delicadeza por Fernando Morais, em 1985
Olga, o filme
Um mito chamado Olga - Filme populariza a história da judia alemã, mulher de Prestes, dada "de presente" por Vargas a Hitler - História de Olga Benário Prestes, informações sobre o filme, galeria de fotos, trailer do filme e mais
Filme Olga Benário - Olga Benário foi uma revolucionária inconformada com o mundo no qual vivia.
Olga dérange-t-elle encore ? - Par Antônio Mesquita Galvão

 


Représentation donnée par un orchestre et un choeur composés de jeunes venant de certains des quartiers les plus marginalisés de São Paulo.
- Des fabriques à culture - Grâce à l'art, les jeunes échappent aux dangers du crime et de la violence au Brésil - Il y a plusieurs années, un changement surprenant s’est opéré dans différents centres de détention pour mineurs de São Paulo (Brésil) peu de temps après qu’on ait offert aux détenus l’opportunité de participer à un programme d’activités culturelles. Oubliées les révoltes habituelles, la destruction de meubles par mise à feu et les bagarres. Les jeunes avaient changé ! Des fonctionnaires de l’État de São Paulo ont pu constater que des activités artistiques, comme la musique, le théâtre, la peinture, ont ouvert un nouveau monde à ces jeunes. - Par Charo Quesada - Article publié dans la revue de la Banque interaméricaine de développement (BID) en avril 2003.

 

- Vários artigos do Correio da Bahia sobre as Jóias Crioulas, suas tradições e histórias.(1/5/05)
Jóias Crioulas - Brincos, braceletes, colares e balangandãs viraram signos do espírito libertário das africanas no Brasil - Era questão de honra se enfeitar assim. A mensagem estava implícita em cada brinco, bracelete, colar ou balangandã. As jóias em ouro ou prata de lei que cobriam os corpos das negras da Colônia eram sinônimo de poder. Ora dos senhores, ora da liberdade conquistada à custa de suor. Uma vez alforriadas, elas mantinham o costume, incorporando jóias feitas pelos ourives negros aos símbolos do candomblé. Com uma exuberância toda sua, indiferentes ao desprezo das senhoras brancas, ficaram para a posteridade, guardadas nos museus, como jóias de crioulas, peças preciosas que enfeitavam as mulheres negras do Brasil. - Adriana Jacob
Braceletes de Óxum - Argolas largas de mãe Senhora presenteadas por P.Verger geraram episódio insólito envolvendo orixá
Brilho da liberdade
Crônica/Gilson Nascimento
Crônica/Mayrant Gallo
Mão santa
Mistérios de balangandãs - Peças feitas de prata funcionavam como amuletos e exibem símbolos do culto aos orixás - Os balangandãs, que estão hoje no Carlos Costa Pinto, eram os amuletos que as escravas traziam pendurados na cintura
Prata da casa
Tesouro roubado

 

- A história das Favelas - Favelas são assentamentos humanos espontâneos e não convencionais, por isso carentes de arruamento e serviços de saneamento básico, nos quais as habitações são construídas geralmente pelos próprios moradores, em áreas de domínio público ou em propriedades particulares abandonadas. As favelas surgem quase sempre em terrenos de menor valor imobiliário, situados em encosta ou sujeitos a inundação.

 

- A cachaça - A cachaça é uma aguardente obtida por fermentação e destilação das limpaduras do suco da cana ou das bordas do melaço. - História, origem, curisiodades, receitas, ...

 

- Amas de Leite - Vários artigos do Correio da Bahia sobre a maternidade por empréstimo, exercida pelas mães-de-leite (22/1/05) :
Laços de Leite - A maternidade por empréstimo, exercida pelas mães-de-leite, estabelece vínculos tão fortes quanto os de sangue - Luciana Barreto
Doadoras de vida - Bancos de leite estimulam as mulheres a obedecer procedimentos técnicos para evitar a contaminação
Escravas do desejo - Negras que se tornavam amas-de-leite tinham `regalias´ na casa-grande e satisfaziam as fantasias sexuais dos senhores
Família-de-leite - Mães-de-leite deixaram as senzalas e hoje criam laços de solidariedade nas favelas das metrópoles e bairros simples do interior
Maternidade emprestada - Mães-de-leite doam a seiva da vida, num ato de amor que cria laços de parentesco entre as famílias
Risco anunciado - O líquido que simboliza a vida pode também trazer pequenas porções de morte, transmitindo doenças graves ao bebê

 

- A Saga do Café - Histórias não faltam acerca das origens do café. Conta-se que seus frutos avermelhados foram descobertos por volta do ano 800, na Abissínia (hoje Etiópia, na África), por um pastor que ficou impressionado ao ver suas cabras saltitantes depois de comê-los. Ele decidiu experimentá-los e também se sentiu animado e bem-disposto. A "novidade", porém, demorou a se espalhar. - SESCP

 

- As festas 2005 do Senhor do Bonfim em Salvador :
Quilômetros de fé, resistência e alegria no Bonfim - Resistência física, muita alegria e devoção marcaram o cortejo da festa do Senhor do Bonfim, ontem pela manhã. Idosos, jovens, crianças de colo, baianos e turistas de todas as partes estavam lá. Alguns só queriam assistir de pertinho ou de cima do Elevador Lacerda, já outros faziam questão de acompanhar o desfile.Letícia Belém, a Tarde - 14/01/05
Representantes de diferentes religiões celebram a paz - Com uma mensagem de respeito às diferenças religiosas em nome da paz, integrantes de diversas religiões participaram ontem, às 8h, de um ato na frente da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia. A celebração deu a largada para o início do cortejo da Lavagem do Bonfim. O ato inter-religioso foi coordenado pelo pároco da igreja da Lapinha, padre José Pinto, e pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de São Salvador, dom Dominique You, e contou com a participação de representantes da igreja Católica, do candomblé, da igreja episcopal Anglicana, da igreja católica independente, da igreja batista de Nazaré e da Federação Espírita do Estado da Bahia, além do prefeito João Henrique. - Correio da Bahia, 14-01-2005

 

- A Moda brasileira que chega da 18ª São Paulo Fashion Week - 19 a 25 janeiro - Cavalera comemora 10 anos com bumbum na janela. Ou melhor, na passarela - SÃO PAULO - A Cavalera comemorou seus 10 anos com um desfile irreverente - 'Cavalera e a coroa real' - e cheio de personalidade. - Bumbuns de fora nos shorts e calças dão o tom de humor e anunciam que a moda e o luxo são para todos. - Domingas Person - Especial para Globo Online e Rodrigo Pinto - Globo Online

 

- A História da Baunilha - Uma orquídea comestível - Comenta-se que os espanhóis levaram quase todos os tesouros dos Astecas, menos um, a baunilha. Esta era usada pelos Astecas para aromatizar uma bebida sagrada, que nada mais era que o chocolate. Os espanhóis tentaram levar a baunilha para ser cultivada na Espanha, mas por falta de insetos polarizadores não ocorria a formação das favas... - Peregrino, 30/09/03

- L'histoire du cacao - Un magnifique dossier réalisé par le Cirad - Centre de coopération internationale en recherche agronomique pour le développement

- A mandioca - Amarga ou doce, a mandioca é uma planta mítica. Ela permanece, até hoje, como insumo básico da comida típica da Amazônia. Natural, pois, que em torno dela existam várias lendas
Antes do pão, brasileiro consumia a mandioca. De acordo com o sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre, os brasileiros começaram a consumir pão somente no século 19. Antes disso, quem reinava nas mesas brasileiras era o beiju de tapioca, feito de farinha de mandioca. Nativa do Brasil, a mandioca já alimentava os índios antes da chegada dos portugueses.
A raiz comestível era tão importante que sua origem mereceu até lendas indígenas. Uma delas relata que a filha de um cacique misteriosamente engravidou virgem. Em algumas versões, o pai a expulsou da aldeia; em outras, ele a condenou à morte. Mas, em ambas, o castigo foi cancelado quando a índia deu à luz a uma menina que recebeu o nome de Mani e encantou o avó.
Quando tinha um ano, Mani morreu e, no local onde foi enterrada, nasceu uma planta muito bonita, cujas raízes grossas eram muito saborosas. Em homenagem à indiazinha, batizaram a planta de "manioc" ou "mani-oca", que significa a casa de Mani.

- Soja, um grande negócio - Uma série de seis reportagens da Rádio Nacional (Brasília, Rio e Amazônia), com o aúdio completo disponibilizado aqui na Agência Brasil. Serão analisados todos os aspectos referentes ao carro-chefe das nossas exportações, o grande negócio da soja - seja ela convencional ou transgênica. Esta, por sinal, ocupa quase a metade da área que acaba de ser plantada em todo o Brasil, criando um cenário agrícola completamente novo.
- Les dynamiques territoriales associées au soja et les changements fonctionnels en Amazonie. Le cas de la région de Santarém, Pará, Brésil - Un article de Rubén Valbuena, paru dans la revue Confins N°5, mars 2009

- Bumba-Meu-Boi - O Auto Amazônico da Ressurreição - Todos os anos, nos dias 28,29 e 30 Junho, o Festival do Boi-Bumbá sacode a cidade amazonense de Parintins, o espetáculo transcende os limites de grandes festa popular para constituir um grande rito de resgate da alma primitiva brasileira, que o boi, na verdade, representa.

- Círio de Nossa Senhora de Nazaré ou Círio de Nazaré ou, simplesmente, Círio. A maior festa religiosa do Pará é, também, símbolo da nossa cultura, seja através da culinária típica, das homenagens, da reunião da família, das festas, do arraial.

- Cenas da vida nordestina em São Paulo - Cerca de 12% da população da cidade de São Paulo é composta por migrantes nordestinos. Desse percentual, pouco mais de 70% desempenha funções braçais de baixa remuneração, trabalhos domésticos, vivem do comércio informal ou estão desempregados. Mesmo submetidos aos mais subalternos postos de trabalho, os migrantes não estão livres do desemprego, que entre eles é 10% maior do que em relação aos demais paulistanos. Além de preencher o subemprego, os migrantes nordestinos e seus descendentes também figuram como os principais moradores das periferias da cidade. - por Cinthia Leone dos Santos, Caros Amigos

- O Pau-brasil teve uma participação na história do país, não só política como econômica, desde a colonização até os primórdios da República. A espécie passou a ser considerada Árvore Símbolo Nacional a partir de 1978.

- Linha de comésticos Ekos - Extraídos das matas, campos e cerrados brasileiros, os ativos da linha provêm de áreas de cultivo e reservas extrativistas registradas no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A andiroba é proveniente da Reserva Extrativista do Médio Juruá, no Amazonas. A castanha-do-pará vem da Reserva Extrativista Iratupuru, no Amapá. O Projeto Reca, em Rondônia, é o responsável pelo fornecimento de Cupuaçu. Já a pitanga, o guaraná, o maracujá e a macela do campo são provenientes de áreas de cultivo e manejo orientados para preservação dos recursos naturais e fixação do trabalhador em seu local de origem.
Os produtos da linha Natura Ekos são biodegradáveis, decompondo-se na natureza em até 28 dias. Eles também possuem embalagens recicláveis, frascos em resinas com uma porcentagem de material reciclado e a opção de refil para todos os seus produtos.

- Pau-Rosa - Até hoje é da madeira desta árvore - conhecida como Aniba rosaeodora Ducke nos meios científicos - que é extraída a mais cobiçada substância da indústria de fragrâncias, o linalol, óleo que serve como matéria-prima para a fabricação do famoso perfume francês Chanel nº 5, criado na década de 20 pela estilista Gabrielle Chanel (conhecida como Coco Chanel).

- Les Biocarburants - Les biocarburants sont des combustibles d'origine végétale. Ils constituent une solution alternative aux carburants d'origine fossile. La question des biocarburants pose la question à la fois de notre mode de vie, avec pour interrogation fondamentale celle de nos besoins, et celle de notre efficacité énergétique. - Un dossier pour en savoir plus.

- Suplemento especial Amazónia realizado por Estadão.com - É possível salvar a a nossa floresta amazônica? Veja as experiências que poderão ajudar a mais rica biodiversidade do planeta
- Número especial da revista Veja - 24 de dezembro de 1997 - número 1527
- Une page bien construite sur le site Amazonie Indienne de Serge Guiraud

- Les Portes des maisons de São Luís do Maranhão - Lors de nos différents séjours à São Luís, la ville la plus française du Brésil, nous avons pris des photos de quelques portes de maisons...

- Histórico da Erva-Mate - Os primeiros a fazerem uso da erva-mate foram os índios Guarani, que habitavam a região definida pelas bacias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai, na época da chegada dos colonizadores espanhóis. Da metade do século XVI até 1632 a extração de erva-mate era a atividade econômica mais importante da Província Del Guairá, território que abrangia praticamente o Paraná, e no qual fora fundado 3 cidades espanholas e 15 reduções jesuíticas. - Saiba mais

- A flor do ipê é a flor do símbolo nacional!

- Cordel - A literatura de cordel é assim chamada pela forma como são vendidos os folhetos, dependurados em barbantes (cordão), nas feiras, mercados, praças e bancas de jornal, principalmente das cidades do interior e nos subúrbios das grandes cidades. Essa denominação foi dada pelos intelectuais e é como aparece em alguns dicionários. O povo se refere à literatura de cordel apenas como folheto. O cordel é muitas vezes ilustrado com xilogravuras do próprio autor. - Saiba mais
ABCL - Academia Brasileira de Literatura de Cordel

- Os Orixás - Deus, Divindades e Poder Ancestral, onde se discorre a respeito da concepção de Deus e da etimologia da palavra Orixá; apresentam-se dados sobre algumas das principais divindades do panteão iorubá e sobre o Poder Ancestral - Ronilda Iakemi Ribeiro

- Os 27 partidos políticos brasileiros em actividade (janeiro 2009).

- Capim Dourado - O brilho dourado e fascinante do capim inspira a produção de peças utilitárias e ornamentais. Essa tradição vem de longa data. Acredita-se que os moradores da região central do Jalapão aprenderam a arte de trabalhar o capim dourado provavelmente com os índios da etnia Xerente, que passaram pela região há quase um século.


Retour à l'accueil